Monlevade e seus Forateiros, umaresposta ao Marcelo Melo.

fevereiro 29, 2012

Marcelo Melo, bom dia.

Acredito também nesta terra, afinal é a minha cidade natal, não  poderia ser diferente.

 

Porém, este dia sonhado por você e por mim e tantos outros monlevadenses, será apenas utopia em nossas mentes, nós que um dia nos servimos de tanta coisa boa, ACM, Cine São Geraldo, Praça do Cinema, Praça do Mercado, GRÉMIO, Campo do Flamengo…

 

O REMÉDIO não é outro se não aquele que é a obrigação de qualquer governante minimamente decente. E.D.U.C.A.Ç.Ã.O

 

Chorar as pitangas não adianta, temos que por a mão na massa, denunciando, cobrando e contribuir para elevação do pensamento, dando voz a quem não aprendeu a “reivindicar” cuidado nas escolas, valorização de fato dos professores, dando condições de trabalho decente a estes heróis.

 

Defender a indústria, cultuar o passado e culpar somente os forasteiros é até covardia.

 

Quanto ao governo, você e todos nós cidadãos, é nossa prerrogativa exigir e demonstrar ter probidade no  trato da coisa pública

 

Creditar o estado atual da cidade aos forasteiros é desculpa esfarrapada, lembre-se que a Austrália, Canadá e Estados unidos, se fizeram inteiramente com Imigrantes, em outras palavras Forasteiros.

 

Moro em Brasília, e esta cidade é realmente um síntese do que temos no Brasil de melhor e pior, Crak, estupros, assaltos, sequestro, falta estacionamento, congestionamento no trânsito e até político vira-casaca, acredita?

 

Bom, para encurtar o papo, vi que a secretaria de cultura promoveu um movimento na periferia da cidade com oficinas de FUNK!!!!, Cara! cadê que alguém levantou a voz para reivindicar uma oficina de Música Popular Brasileira? Cidadania, Educação Sexual? Prevenção à Drogas? Ninguém !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

O Pessoal da Alternativa (Weber, Joãozinho) tentou fazer um festival de música, o resultado é que deu vontade de chorar.

 

O Weber me relatou que ficou perplexo com os candidatos que apareceram, sem nunca terem tido uma experiência parecida, era lamentável ver um jovem batendo à porta da rádio pedindo para se inscrever com a música da Madona, ou da novela das 8:00h!.

 

Marcelo o buraco é mais pra baixo, conclamo você, que é um formador de opinião, a definir um rumo, abdicando de posições individualistas e remar-mos para mesmo lado.

 

Um fraterno abraço.

 

Gilson Joel Fernandes

Alves e Fernandes Ltda.